Wednesday, July 04, 2007

espere a primavera, luciano

assim, embaçado, difícil, sem previsões além do que a vista alcança. ele não assusta nem acalma, é como se não existisse, mas, sempre à espreita, cobra seu preço. e nos dá a impressão de que a vida é isso que vejo, a decadência, as seis horas, batendo cartão, longas viagens no ônibus, curtas no trem, sono fora de hora e cochilos no começo da noite. madrugadas acordado e aquele banho frio de manhã. você coloca a blusa e vem o sol, quando tira, o vento te gela. a grana cai no banco e vai embora sem passar por tuas mãos. contas e mais contas que nem deixam o suficiente praquela breja, praquele fim de semana com os amigos ou com aquela garota que conheceste outro dia. vivendo de migalhas e minutos, deixando tudo que resta para pagar a fatura de teus dias, sem fiado, sem desconto para pagamentos à vista. parcelamento dolorido. saudade das paixões que rejeitei, das ligações que não retornei, dos olhares que ignorei. vontade de rever cada alma perdida, de sofrer de novo cada amorzinho juvenil, de chorar de novo cada decepção e sentir mais uma vez o primeiro beijo, o sexo inocente. nostalgia. e a vontade de sair pra qualquer lugar e tentar curtir um presente que, tão insosso, machuca. aperta o peito. pegar os trocados que sobram, o cartão, o talão de cheques. sair e voltar sabe-se-lá quando. ir para o puteiro mais barato e para o mais caro. beber a cerveja, o uísque. namorar, prometer casamento, fugir. fumar um charuto cubano, um cigarro de menta e aquele marlboro amargo. dirigir na madrugada por todas as pistas e conhecer as cidades, sem ligar para a gasolina.
mas amanhã é quinta-feira.
mas às dez horas bate o cartão e começa.
mas a coragem é pouca.
tudo bem, digo, tudo bem, digo para mim mesmo. não soa convincente nessas horas. mas serve. afinal, amanhã é quinta, depois é sexta e sábado, domingo, segunda é feriado e eu tento pensar que as coisas que valem a pena estão aí no meio. que graça teria se não estivessem?

1 comment:

GUstavo 'Brisa' said...

É mesmo tudo isso que sentimos. Mas e ai eu pergunto; porque não mudamos ess quadro?dinheiro?luxo?comodismo?
PQP!