Monday, December 11, 2006

Presa por ser livre demais, presa por consolo


É bem difícil criar as melhores situações. Mas e quando elas estão aqui? Você prefere sentar e olhar? Ou estar lá pra poder sentir bem de perto o seu sonho?Parece até mais um revoltado falando sobre suas injúrias, seus desgostos, mas não é, seria só mais um tolo que não consegue fugir, mas tenta fingir.

Prefiro me equivocar a desistir. Estarei sempre na luta agarrando meus sonhos com unhas e dentes, mas, cuidado, a cólera às vezes nos puxa de volta pra realidade, de que você não tem nem nunca terá tanta liberdade autonomia sobre o pensar o realizar. Você já sentiu a sensação de estar sendo manipulado por uma criança jogando vídeo game e você ser o super-herói da vez. Só que nesse jogo pra ganhar você vai precisar ganhar dinheiro sem importar o que você faça: o importante é atingir o objetivo do jogo.

É, tenho me sentido assim, a cena que tanto quis está ai em minhas mãos, lógico que eu agarrei ela, mas a cena dos meus sonhos não é ligada a dinheiro e nada de luxo, mas muito conceito que pra mim é maior que todos os luxos do mundo, porém sinto a criança ingênua me puxando de volta me mandando mudar o rumo e correr atrás do objetivo do jogo. Querendo ou não eu faço parte do jogo estou presente e sou mais uma peça dele. Mas como poucos eu queria lutar pra me tornar um cara importante seguindo meus ideais buscando minhas conquistas, mas essa criança me irrita tanto por barrar minha liberdade, o meu jogo é agora e ela não desliga o videogame, já é hora de dormir e todos estamos compenetrados para derrotar o chefão. Seria o chefão o instante em que estou da minha vida, coisas boas são negativas nesse jogo, ninguém quer saber da satisfação. O premio é muito poder e insatisfação.

Sabe essa fumaça que prendemos certas vezes nas noites de boemia ? Ela não tem a culpa de ser fumaça e intoxicar os pulmãos, ela só quer flutuar por ai. Ela nasce pela nossa culpa e do jeito que ela quer ser feliz vocês deixam ela por aqui ao ver de seus olhos. Qual a graça? Dor por dor já temos a do dia-a-dia. E pra aliviar a dor, a dor dos outros é consolo. Conquistemos o dinheiro que poderia ser dos mortos de fome e sejamos ricos felizes. Pois felicidade é dinheiro. Todos os dias acho tudo isso uma babaquice e adoro andar no meio dos bichos grilos. Freqüentar a escória, o lixo. Medo tenho disso tudo acabar, de crescer me conformar como todos, e no fim do ano chegar vestido de Papai Noel.

2 comments:

Luciano Costa said...

eu tento seguir o caminho da revolução, das coisas certas, da justiça. mas encontro só a marmita requentada, o salário contado, os passes de ônibus e o medo de virar mais um.

Junior said...

você é seu patrão até o momento em que o ar que respira sai de tua boca. somos resignados, rebeldes sem causa, presos.